Categoria: Acessibilidade



Acessibilidade: quais adaptações devem ser notadas em prédios e condomínios

Escadas, elevadores inadequados, corredores estreitos, pouca acessibilidade. Todas as pessoas têm o direito de mobilidade garantido em prédios e condomínios; por isto, é bem importante saber quais são as adaptações básicas que devem ser respeitadas quando se trata de acessibilidade.

De acordo com a legislação nacional, prédios residenciais devem estar adequados a várias normas para garantir o livre acesso a locais de espaço comum. Porém, cabe ao governo de cada estado definir especificidades como o tamanho máximo que pode ter um desnível para tornar obrigatória uma rampa, escada ou corrimão. Ainda assim, independente das particularidades de cada local, a garantia de mobilidade deve valer para todos.

De modo geral, o que vale para todo o país são regras para as áreas de uso comum ou abertas ao público, que devem estar interligadas conforme as normas técnicas de acessibilidade da ABNT. É caso de rampas na entrada de prédios, permitindo a passagem de cadeirantes, pessoas com carrinhos de bebê, idosos ou pessoas com mobilidade reduzida.

Também faz parte da legislação nacional o nivelamento dos pisos e degraus no acesso de um local para o outro. Isto vale para todas os espaços comum do condomínio, como hall de entrada do prédio, salão de festa, quadras esportivas, portarias e vagas em garagens.

Além disso, os prédios devem ter portas de acesso largas, assim como os corredores, que precisam ter uma largura que permita, por exemplo, a passagem de uma cadeirante. E vale lembrar que todo projeto do edifício deve ser submetido à Secretaria Municipal de Urbanismo (SMU) para aprovação prévia antes de sua construção. Feito isso, o local deve seguir, rigorosamente, os pedidos de adequação necessários.